"Sou obrigado a estar sempre conectado porque trabalho com redes sociais"

Se você trabalha com comunicação já deve ter escutado (ou dito) pelo menos uma vez essa frase. Eu mesma já disse algumas vezes. Até que um dia, há 5 anos, decidi sair do Facebook. Confesso que no momento não ponderei muito sobre o assunto. Só saí, tamanha exaustão dessa rede. Depois fui me organizar: para o aspecto pessoal anotei alguns contatos e aniversários e para o profissional criei um perfil corporativo, com zero amigos e sem timeline, somente para administrar as contas que possuímos na Contente. Desde então, sinto que ganhei muito mais do que perdi.

 

Após conseguir com sucesso me desconectar de uma rede tão importante, venho relativizando a frase que dá título a esse post: o quanto a usamos como desculpa para o nosso vício digital e para não mudar coisas que não queremos tanto assim?

 

  "Estou tentando fazer uma pausa da internet mas é na internet que o meu dinheiro está, não é uma droga isso? hahaha"

"Estou tentando fazer uma pausa da internet mas é na internet que o meu dinheiro está, não é uma droga isso? hahaha"

Sim, quem trabalha com comunicação (e tantas outras profissões) precisa estar conectado e se atualizar sempre, mas no fundo não somos obrigados a passar horas procrastinando online, vendo o feed da sua rede social favorita sem limites. Se formos encarar a verdade de frente poderemos assumir que isso é uma falta de controle pessoal e não uma necessidade profissional. 

Tudo o que fazemos no automático acaba caindo nesse lugar do caos, da falta de controle. E se a gente parar para diferenciar o uso que fazemos das redes sociais entre o que de fato precisamos fazer (quais canais são essenciais ler sempre, quais são as ferramentas novas que precisamos testar etc) X o que fazemos por não pensar, no automático (abrir o celular para fazer uma coisa e passar um tempão fazendo outra etc)? Será que não nos supreenderíamos com mais tempo dedicado para o que não precisamos fazer?

No fim, gostamos de dar a desculpa que "temos" que estar sempre conectados, mas ao fazer esse exercício de separação podemos ver que não é bem assim. Claro que existirão situações profissionais que de fato exigem uma conexão mais ativa, mas mesmo essas podem se beneficiar deste exercício de separação e de um uso com mais consciência.


Como fazer isso? Existem muitas possibilidades, coloco abaixo algumas sugestões para quem quiser experimentar!

1 - Limpe o seu feed: o que você precisa mesmo acompanhar e o que está como um excesso em suas redes? Um feed mais focado pode te ajudar a passar um tempo de melhor qualidade online.

2 - Busque por canais que vão te avisar das novidades: não importa qual área de trabalho você atue, eu posso apostar que existe um canal dedicado a trazer as últimas novidades do seu setor. Seguir canais assim te dará uma sensação de estar sempre atualizado e vai te ajudar a usar as redes com mais tranquilidade.

3 - Seja um observador muito atento de como você usa o telefone: pelo menos por um dia (se puder por mais tempo), faça o exercício de observar como você está usando a internet. Sei que é difícil separar, mas acredito que mesmo com dificuldade você conseguirá distinguir qual tempo usa para de fato trabalhar e qual está usando simplesmente por estar entediado, por exemplo.

4 - Ocasionalmente, experimente fazer um detox! Estar propositalmente desconectado traz benefícios incríveis para a sua mente e você aprende muito sobre você mesmo e sobre seus hábitos digitais. Leia sobre experiências que tivemos com detox: Luiza / Dani

5 - Estipule regras para seu uso: assim como crianças com brinquedo novo, ainda estamos engatinhando no nosso uso digital. Nesse sentido, regras podem sim ajudar bastante! Exemplos: não ver redes sociais após 21h, não levar o telefone para o quarto, não abrir o whatsapp ou uma rede social assim que acordar...

6 - Use a tecnologia a seu favor: assim como existem ferramentas que te mantêm o dia todo grudado na tela, também existem algumas outras que te fazem pensar sobre esse uso excessivo. O app Moment informa quantas horas você passou no telefone e quantas vezes abriu a tela. O Headspace oferece meditações simples e rápidas para ajudar a desacelerar. Por último, temos sempre o bom e velho modo avião, que nos ajuda a desconectar de tudo instantaneamente até segunda ordem.

Simples não é, mas todo novo dia é uma nova oportunidade de praticar. Tem histórias bem sucedidas? Vamos adorar ler vocês.

Luiza VollComment