Contente apresenta: @vailaRIO!

www.instagram.com/vailario/

O #vailá, nosso guia de escolhas conscientes nas cidades, está crescendo e, para a nossa alegria, agora também estamos no Rio de Janeiro! A cidade é cheia de iniciativas incríveis que estão sendo mapeadas lindamente pela colaboradora do projeto no Rio, Luiza Portella, carioca e publicitária recém-formada em design para sustentabilidade no Gaia Education.

Captura de Tela 2016-06-30 às 1.06.49 PM

Em todos os posts do projeto, nos guiamos pelos valores:

#1 | Fazer escolhas conscientes

#2 | Experimentar fazer à mão

#3 | Viver além do consumo

#4 | Reencontrar nossas raízes brasileiras

#5 | Apoiar o desenvolvimento local

#6 | Mostrar opções veganas

#7 | Produzir menos lixo

#8 | Descobrir de onde vêm as coisas

Além disso, os seguidores também podem compartilhar suas dicas com a hashtag #vailaRIO.

Quem administra o projeto dá a cara e a vida ao conteúdo, por isso entrevistamos a Luiza para vocês verem como estão em boas mãos :-)

1_lu

Como você começou a ter uma vida mais voltada para escolhas conscientes?

Eu sempre fui sensibilidade em pessoa. Tudo que está fora sempre machucou aqui dentro e por isso tinha uma inquietação e um desejo enormes de transformar tudo que julgava não estar certo à minha volta. E de uma forma ou de outra é fácil julgar e tentar mudar o que está fora da gente. Traz uma falsa sensação de que a responsabilidade está no outro e blinda a gente de trazer a responsabilidade para nós. Por isso a mudança só aconteceu quando parei de tentar mudar fora o que precisava primeiro mudar dentro. E a transformação só acontece de verdade quando é de dentro pra fora, quando é radical - não no senso comum, mas na origem da palavra - quando vem da raiz. Tinha (e ainda tenho) muitos deveres de casa.

Quando temos maior consciência de si, não tem como continuar colocando pra dentro - literalmente - o que não faz sentido ou não está bom do lado de fora. O nosso corpo pede cuidado e a busca por uma alimentação mais saudável, orgânica, sem agrotóxico, transgênicos, aditivos químicos etc passa a ser uma necessidade. Assim como a busca por uma alimentação que priorize as opções vegetarianas e veganas. Quando se toma conhecimento, por exemplo, de todas as externalidades da agropecuária no Brasil (desmatamento, alto consumo/desperdício de água, emissão de gás metano), fica cada vez mais difícil continuar alimentando esse tipo de escolha.

E quando tomamos consciência também que as nossas escolhas têm consequências e que não existe essa separação do que está dentro e o que está fora, que estamos em simbiose, naturalmente surge a necessidade de cuidar do outro e do meio ambiente, até porque cuidar do outro é cuidar de si.

Quais filmes e livros te ajudaram no caminho?

O que me ajudou mesmo foi o que aprendi em encontros com pessoas especiais, dessas que vivem suas verdades e despertam esse desejo de acessar a nossa. As pessoas que mais me marcaram foram as que eu tive contato em cursos, em especial o do Gaia Education, que foi um divisor de águas. As experiências em ecovilas (Piracanga e Terra Una) também foram transformadoras. Acompanhar todo o ciclo dos alimentos e me conectar do plantio à produção foi o ponto de partida para repensar a minha alimentação. Para os curiosos que querem entender como funcionam as ecovilas, vale assistir o documentário Ecovilas Brasil, que é bem fiel ao retratar a vida em comunidades e co-livings.

Também indico algumas referências de leitura:

  • Comunicação Não-Violenta (Marshall Rosemberg) - Mostra a importância e a necessidade de nos responsabilizarmos por nossas escolhas e sentimentos, e como isso impacta na consciência de si e do outro. E talvez essa seja a base para construção de uma nova sociedade.

  • Todos os livros e vídeos que abordam os temas da Teoria de Gaia e da Ecologia Profunda (James Lovelock, Joanna Macy, Dr Stephan Harding e John Croft) apresentam um novo paradigma de sociedade, que tem como essência a nossa interdependência com a natureza, com Gaia, que é mais um olhar para o mesmo tema.

  • Encíclica do Papa Francisco – Sobre sustentabilidade, também traz mais uma visão, ao tirar a crença que a natureza deve ser submetida ao domínio arbitrário do homem e reforçar que todos os seres são manifestação de amor, resgatando São Francisco de Assis como um exemplo de contemplação e conexão com a natureza. Vale a leitura, principalmente para os católicos.
  • "A Canção da Terra", do Gaia Education - O livro traz a reflexão e teoria de como construir as mudanças necessárias para uma vida mais sustentável em nossas comunidades, a partir de uma visão inovadora do mundo, que junta o olhar e aprendizados de várias culturas. A versão em português do livro está em projeto de crowdfunding, vale a leitura e o apoio ao projeto.
  • Reinventing Organizations (Frederic Laloux) - Traz uma pesquisa sobre os modelos de organização para cada estágio de consciência da humanidade, e indica como algumas empresas bem sucedidas já se adaptaram a esse novo paradigma. Uma leitura transformadora para quem deseja trazer consciência para as empresas.

Como você acha que dá pra conquistar cada vez mais gente pra esse estilo de vida?

Nunca estivemos tão conectados e com tanto acesso a informação, e a consciência vem quando adquirimos conhecimento e temos um contato mais próximo com esse estilo de vida. A comunicação aproxima as pessoas e tem um papel fundamental para quebrar algumas crenças, como a inexistência de estilos de vida alternativos ou de que as opções mais conscientes são poucas, complicadas, sem graça ou inacessíveis. Além disso, acredito que nossas experiências nos transformam. Por isso o contato com pessoas que vivem esse estilo de vida aproxima, cria empatia e traz clareza para as nossas escolhas.

Conta um pouco da sua experiência na Gaia Education?

Aprendi no Gaia que toda a crise ambiental reflete a crise da humanidade, que vem da desconexão com a natureza e da perda do senso de comunidade. O curso busca resgatar a nossa relação de simbiose com a natureza e trabalha o conceito de sustentabilidade como um todo, desde a sua raiz, começando pela sustentabilidade do ser. O primeiro módulo - o social - trabalha a nossa interdependência, fortalece a relação, saindo do modelo de competição para a cooperação, colaboração, resiliência e ganha-ganha. O módulo econômico traz consciência para as externalidades da produção linear e em grande escala e mostra a necessidade de uma economia circular, que reaproveita, reduz, recicla e ressignifica a produção e o consumo. Também provoca reflexão sobre a nossa relação com o dinheiro por meio de novos valores e modelos de troca. O módulo ecológico traz teoria e prática de alguns conceitos de permacultura, como agrofloresta, compostagem, bioconstrução, captação de água da chuva etc. E também provoca reflexão da nossa relação com o lixo/resíduo e como podemos transformá-lo em recurso. Por último, o Gaia trabalha espiritualidade, trazendo diferentes visões de mundo: da física quântica, ao zen budismo e à espiritualidade indígena.

Mais do que teorias, o curso trabalha todos esses conceitos (e muitos outros) na prática, por meio da relação e da troca dentro dos grupos de estudo, com a prática de holocracia, comunicação não-violenta e escuta profunda. O estágio em ecovilas, que também faz parte do curso, traz ainda mais para a prática a experiência de vida em comunidade. E por isso o curso Design para Sustentabilidade do Gaia Education tem como objetivo formar designers que vão construir essa forma de viver e de se relacionar em sociedade. É preciso ter coragem - também na origem da sua palavra - que é viver com o coração. E o Gaia é exatamente sobre isso: sobre como se relacionar de coração a coração.

O que você espera fazer no @vailaRIO?

Vejo no projeto uma forma de mostrar que existem alternativas mais positivas para o nosso dia a dia. Assim que fiz o Gaia comecei a rever as minhas escolhas e a buscar experiências, restaurantes, produtos e produtores que estão em linha com esses valores. Da mesma forma que eu sigo buscando essas referências, penso que outras pessoas também podem estar. E porque caminhar sozinha se podemos fazer isso juntos? E é uma felicidade dar mais visibilidade e potencializar a comunidade que está transformando a nossa relação com a cidade, seja através da produção de produtos/alimentos que se preocupam em fechar o ciclo, seja através de eventos, espaços que promovem a reflexão e cuidado com o meio ambiente. Acredito que a vocação do @vailaRIO é ser essa ponte entre os cariocas que buscam escolhas mais conscientes com os cariocas agentes de transformação. O canal também tem o objetivo de ampliar a consciência sobre nossas escolhas. É importante conhecermos as consequências dos nossos atos.

A consciência gera responsabilidade, mas traz principalmente liberdade para as nossas escolhas. E o lado positivo desse conhecimento é saber que podemos apoiar e fortalecer o que queremos ver frutificar na sociedade. Cabe a cada um escolher o que deseja apoiar.

Luiza Voll1 Comment