Às vezes a gente trava

trava A gente sabe o que tá errado, sabe o que tem que fazer. Consegue até traçar um pequeno plano de ação. Mas acaba morrendo na praia. Por que? O que nos faz não avançar, principalmente nas questões mais urgentes? É medo, é desconforto, é preguiça? Tenho passado as últimas semanas assim. Sabendo que preciso fazer x coisas, mas deixando a lista de afazeres do dia se sobrepor.

Daí essa semana, conversando com a Ana Fontes, da Rede Mulher Empreendedora (que conta com apenas 300 mil mulheres inscritas - uau!), ela me falou: você quer focar no operacional ou no estratégico? Quer passar o dia respondendo email (operacional) ou quer tentar conhecer potenciais clientes (estratégico)?

A resposta é óbvia. A gente sabe o que deve fazer.

Ainda assim, às vezes a gente trava.

No dia seguinte à conversa, fiz o que? O operacional. Operacional que começa a cansar, de tão repetitivo que é. Às vezes tenho a impressão que o trabalho de verdade, todo o aspecto criativo mesmo, é feito nos intervalos entre responder emails que nunca serão zerados e postar nas redes sociais. Gosto das duas coisas, elas são fundamentais para o tipo de trabalho que a gente faz, aliás, mas não gosto do fato de que elas são o resumo dos meus dias.

Alguém aí sofre do mesmo problema? Já encontrou algum começo de solução?

(A foto é daqui)

Contente1 Comment