A internet que a gente quer: Julia Duarte, do Tristezinha

juliaduarte
juliaduarte

Julia Duarte transformou tristeza em poesia. Ela faz o Tristezinha, um projeto que junta palavras e desenhos para expressar sentimentos e olhar o lado bom da vida. Ela também é diretora criativa da BOX 1824. Acompanhar seus textos e postagens, seja no Instagram, seja no Facebook, nos ajuda a refletir sobre a vida, sempre trazendo um toque de poesia junto.

Para acompanhá-la > www.instagram.com/tristezinha + tristezinha.tumblr.com

#ainternetqueagentequer por Julia Duarte

Como é a internet que você quer? Penso que a internet é o reflexo do que acontece fora dela. Por trás de tudo existem pessoas. Pessoas com sentimentos, emoções, ideias, opiniões, divergências e todo o resto que bem sabemos. Não é novidade que a sensação constante de pressa veio junto com a hiperconexão e com a consciência da tal velocidade exponencial. Sinto como se nosso pensamento linear fosse esmagado todos os dias, muito embora não seja tão dramático assim. Com tudo isso as pessoas têm uma carência cada vez maior: a de serem escutadas. E assim a internet, muitas vezes, vira um grande divã, uma grande mesa de bar, uma enorme roda de reflexão. O que é lindo, porém a internet que eu quero é um pouco mais propositiva. É uma internet que mais do que refletir, faz acontecer. Propõe soluções na área da saúde, da educação, da arte, do esporte com mais força de transformação. A internet que eu quero transforma de forma que grandes ideias não fiquem perdidas em meio a tanta terapia (não que a terapia não seja importante). A internet tem o poder de salvar nosso humor em muitos momentos, seja através de memes, mensagens mais autoajuda e por aí vai. Mas o próximo passo é ter o poder de ajudar as pessoas a transformarem isso em algo mais concreto. Esses dias resolvi fundar o Artbnb na minha casa e postei a foto abaixo. Mais do que compartilhar minha arte provoquei encontro com novos artistas. Para mim foi um avanço na conexão. Saí da esfera mais viajandona e entrei numa esfera mais terrena.

width-auto
width-auto
Dani ArraisComment