Mulheres que Inspiram: conheça a trajetória de Priscilla Adduca

blog_2.jpg

O @mulheresqueinspiram é um desses projetos que são a cara da #ainternetqueagentequer. Surgiu há 3 anos e foi criado pela baiana Priscilla Adduca, que hoje transmite para seus mais de 65.000 seguidores histórias de mulheres que estão fazendo a diferença no mundo.

Vamos conhecer mais sobre ela e sobre o projeto?

“Sou Priscilla Adduca. Nasci e cresci em Salvador e sou apaixonada por minha terra. Quando pequena sonhava em ser arquiteta, mas com o tempo fui me distanciando dessa ideia e me aproximando da área de humanas. Sempre gostei muito de português, redação e costuma tirar as melhores notas nessas matérias. Quando o vestibular chegou, optei por D\direito e concluí o curso com bastante desconforto. Quando recebi o diploma, a única certeza que tinha era de que não queria seguir carreira jurídica.

Logo depois da faculdade, surgiu a chance de trabalhar na área de marketing de uma empresa inglesa sediada em Salvador. Fiquei um ano por lá, tempo suficiente pra entender que eu dificilmente me encaixaria nos padrões de trabalho convencionais. Realmente me incomodava o horário fixo de trabalho, as horas perdidas no trânsito, o mal estar de trabalhar sob o comando de outras pessoas enquanto os meus sonhos estavam ali, esquecidos na correria do dia a dia. Pode parecer piegas, mas era a mais pura verdade. Foi quando resolvi sair de casa e morar em outra cidade. Em 2007 fui pra São Paulo, me matriculei em cursos de design de interiores, fotografia e modelagem de moda praia. Como sempre tive enorme interesse pela moda, acabei criando uma confecção de biquínis. Foi minha primeira experiência como empreendedora. Amava o processo criativo mas ficava incomodada com o desperdício de material, a dificuldade de relacionamento com os grandes fornecedores e mais outros entraves da produção e acabei encerrando a marca três anos depois.

MQI3-300x200.jpg
7-300x200.jpg

Ciclo fechado, entrei numa fase de muitos questionamentos na minha vida. Não fazia ideia de que caminho profissional eu devia seguir. Eu tinha muitos interesses mas não sabia no que focar e não suportava a ideia de trabalhar em escritório. Comecei a pesquisar muito sobre empreendedorismo, sobre pessoas que tinham largado carreiras no mundo corporativo para se dedicar às suas paixões, talentos e criatividade e descobri histórias muito inspiradoras. Pra minha maravilhosa surpresa, percebi que a maioria dessas histórias tinham mulheres como protagonistas. Fui percebendo que a nossa intuição e a nossa sensibilidade são muito aguçadas, estamos muito conectadas com a nossa essência (ou pelo menos nos esforçamos pra isso) e temos mais coragem de trilhar um caminho só nosso, que faça mais sentido.

3-1.jpg

Em setembro de 2014, ainda morando em São Paulo, tive a ideia de reunir essas histórias num perfil no Instagram e criei o Mulheres que Inspiram. Conhecer tantas mulheres e tanta gente interessada em seguir caminhos profissionais com mais propósito, mudou completamente a MINHA história. Entendi que as minhas angústias com relação ao trabalho não eram só minhas e que milhares de pessoas no mundo estão na mesma busca. Hoje entendo claramente que o trabalho não deve ser um fardo. Não pode ser doloroso, incômodo, chato. Trabalho é a nossa forma de entregar ao mundo o que nós temos de melhor, de mais especial. O trabalho tem um poder enorme de transformar e impactar o mundo e cabe a nós escolher que impacto será esse. Que legado você quer deixar? Que transformações você quer promover? Que sentimentos você quer provocar nas pessoas que você vai atingir? Passei a ver o trabalho com amor, com carinho e com muito respeito e entendi que o que fazemos pode nos transformar como seres humanos e transformar o mundo à nossa volta.

O Mulheres que Inspiram se tornou a minha ferramenta pra inspirar e conectar mulheres que querem criar trabalhos com mais amor e propósito. Pra isso, atuo em duas frentes: faço a curadoria do conteúdo e realizo eventos voltados só para mulheres.

 

6-768x512.jpg

No final do ano passado, depois de 10 anos morando em São Paulo, resolvi voltar pra Bahia pra ficar perto de minha mãe e do mar. Continuo indo pra SP todos os meses para realizar os projetos por aí. Hoje eu organizo três eventos:

– Fim de Semana Criativo: um movimento lindo de troca entre mulheres, estimulando o conhecimento de diversas áreas da economia criativa e despertando o interesse por modelos de negócios pautados na arte, talento e criatividade. Reúne oficinas comandadas por mulheres e voltadas só para mulheres (já teve cerâmica, lettering, bordado, poesia, flores…)

– Mulheres que Inspiram, a Feira: evento criado pra valorizar a essência feminina através da arte e do trabalho manual. Reunimos apenas expositoras mulheres com trabalhos autorais. Estamos caminhando para a nossa terceira edição.

– aCalma: a nossa proposta é sair dos centros urbanos para nos conectarmos com a nossa essência e com a natureza. Fizemos o primeiro encontro agora em agosto na Fazenda Lila, em São Bento do Sapucaí, com alimentação vegetariana, aulas de yoga e meditação ao som de mantras.

Abracei o projeto com unhas e dentes e hoje me sinto muito feliz em promover esse movimento feminino com propósito.

Acho que a parte mais difícil do meu trabalho é organizar todas as ideias e projetos. Por mais que eu planeje, me esforce para cumprir o que desejo, é difícil dar conta de tudo. Prezo muito por uma vida mais calma, sem correria e equilibrar tudo isso é complicado. Mas a gente continua firme e forte! rsrs!

 

MQI2-768x512.jpg